estresse calorico - aves

Não deixe o estresse calórico estragar o apetite das aves no verão

O verão está logo ali e é hora de preparar estratégias para gerenciar o impacto do estresse calórico na eficiência da produção das aves.

Efeito do estresse calórico na ingestão de ração

As aves modernas são particularmente sensíveis aos desafios ambientais associados à temperatura, devido à sua atividade metabólica. A diminuição da ingestão de ração em resposta ao estresse térmico é o ponto de partida para a diminuição do ganho de peso corporal, eficiência alimentar, produção de ovos e qualidade. Pesquisas mostraram que um período de estresse térmico de 12 dias em galinhas poedeiras diminui a ingestão de ração em 29 g/ave, resultando em uma redução de 28,8% na produção de ovos. Outros relataram que para cada aumento de 1, ºC na temperatura entre 21°C e 30°C, o apetite diminui 1,5%, e para cada aumento de 1, ºC na temperatura entre 32°C e 38°C, a redução é de cerca de 4,6% em galinhas poedeiras. Estudos em frangos de corte mostraram que as aves criadas em temperaturas entre (35 e 38 C) tiveram consumo de ração e taxas de crescimento significativamente menores em comparação com as aves criadas em temperaturas ideais.

Mecanismos subjacentes

Há um consenso geral de que peptídeos hormonais intestinais como a Colecistocina (CCK) e Grelina têm um papel a desempenhar na regulação do apetite nas aves. No entanto, o papel desses peptídeos intestinais na regulação do apetite ainda não é totalmente compreendido e há alguma controvérsia sobre como seus papéis fisiológicos podem diferir entre aves e outros vertebrados.

Há pouca informação disponível sobre os mecanismos subjacentes para uma redução da ingestão de ração em resposta ao estresse térmico nas aves. Um estudo que investigou o efeito da exposição ao calor na expressão genética de vários peptídeos reguladores de apetite em galinhas poedeiras relatou um aumento da regulação do mRNA de grelina no hipotálamo, bem como no estômago glandular e jejuno. Sugerindo que uma das vias para o impacto negativo na ingestão alimentar de alta temperatura ambiente em galinhas poedeiras pode ser mediada por seus efeitos nos sinais hipotalâmicos e gastrointestinais de grelina.

Suporte à ingestão de ração sob estresse térmico no verão

Novos conceitos nutricionais, como ativadores de agilidade intestinal, são projetados para suportar a capacidade adaptativa e, portanto, a resiliência da ave por meios nutricionais. Eles ajudam a ave a se adaptar aos estressores minimizando as reações de estresse, incluindo a redução da ingestão de ração. O ativador de agilidade intestinal Anco FIT Poultry tem demostrado manter maior ingestão de ração em frangos e poedeiras em comparação com os animais controle em condições comerciais sob estresse térmico no verão. Isso foi associado a maiores ganhos de peso e pesos finais

Artigos relevantes

#Heatawarenessday – Suas aves estão preparados?