early laing period - anco fit poultry

Fase inicial de produção de ovos – um bom começo para galinhas poedeiras

A fase inicial de postura desempenha um papel importante na perfomance de um lote e por quanto tempo as aves podem ser mantidas em produção. Portanto, começar bem a fase de postura é fundamental para estratégias nutricionais destinadas a prolongar os ciclos de postura. A nutrição voltada à capacidade adaptativa pode ser um grande facilitador ao fazer suas aves saírem na frente na fase de pré-pico de produção.

500 ovos em um ciclo de postura estão ao alcance

Prolongar o ciclo de postura ajuda a equacionar os custos de produção de ovos (por exemplo, pela diluição dos custos das frangas e ração) pelos ganhos de um período produtivo mais longo. Além disso, reduz a frequência necessária para reposição das aves e limpeza de aviários entre lotes.

Como resultado, agora os avicultores estão buscando prolongar o período de postura para além das 72 semanas de idade. Mas não é apenas para melhorar os resultados econômicos da produção, mas também faz sentido em termos de redução do impacto ambiental da produção de ovos visando uma produção mais sustentável.

Algumas casas genéticas já estão relatando lotes com ciclos de produção de ovos de 100 semanas e com produção maior que 500 ovos. A Schothorst Feed Research informou que um lote de galinhas Dekalb White produziu 510 ovos por ave em 100 semanas em Outubro do ano passado (2019). Embora a genética aprimorada facilite objetivos tão ambiciosos, não é preciso dizer que o manejo e a nutrição adequadas também desempenham um papel importante.

Importância dos desafios anteriores ao pico de produção de ovos para a extensão do período de postura.

O período de pré-pico do ciclo de postura dura desde o momento em que as galinhas chegam ao galpão de produção (15-18 semanas de idade) até a idade em que as aves atingem o pico de produção de ovos (24-26 semanas de idade). Este é um período muito desafiador, porque as aves ainda estão crescendo enquanto começam a produzir ovos. Além disso, passam por muitas outras mudanças à medida que passam da fase de frangas para a fase de produção.

Isso significa que elas precisam se adaptar a novos ambientes, dietas, iluminação diferente, além de passar pelo estresse do transporte. Isso pode resultar em balanços negativos de nutrientes, que podem afetar o desempenho, mas também pode ter efeitos a longo prazo para a saúde e a persistência da postura se afetar negativamente o metabolismo ósseo e hepático.

Por exemplo, a mobilização de cálcio para a formação de casca de ovo a partir do osso pode levar a uma redução na massa esquelética das aves e reduzir a qualidade da casca no final da postura.

O aumento da produção de radicais livres no fígado pode eventualmente levar ao fígado graxo como resultado do estresse oxidativo prolongado, que novamente pode prejudicar a produção de ovos e a persistência da postura.

Objetivos não alcançados na fase de recria, como peso corporal e uniformidade ou estressores, como altas temperaturas e micotoxinas, podem amplificar possíveis problemas.

Nutrição voltada à capacidade adaptativa de galinhas no período inicial de postura

Para que as aves cheguem em condições adequadas no início do período de postura e corrigir os efeitos de uma recria em condições sub ótimas, a ingestão de nutrientes deve ser maximizada para evitar a mobilização das reservas de nutrientes corporais no início do período de postura.

Isso também significa que quaisquer impactos ambientais ou nutricionais sobre o consumo de ração precisam ser minimizados. Reações de estresse, como estresse oxidativo, integridade intestinal reduzida e respostas inflamatórias, podem contribuir para impactar negativamente a resiliência das aves e, assim, diminuir ainda mais as chances de os produtores prolongarem com sucesso o período de postura.

Por exemplo, a integridade intestinal do duodeno é crucial para manter a qualidade da casca do ovo em ciclos de postura mais longos, pois é o principal local de absorção de Ca e P.

O estresse oxidativo afetará o funcionamento do fígado e, portanto, a capacidade de manter altas taxas de postura e qualidade dos ovos ao longo do tempo. Também pode levar a respostas inflamatórias que podem afetar a eficiência energética.

O conceito de agilidade intestinal de Anco FIT Poultry foi desenvolvido especificamente para aumentar a capacidade da ave para se adaptar aos desafios com mais eficiência e reduzir as reações de estresse que, de outra forma, reduziriam o desempenho e o potencial das galinhas para sustentar ciclos de postura mais longos.

Assine a nossa newsletter e descubra mais sobre as experiências com a Anco FIT Poultry em dietas para poedeiras em artigos futuros.

Referências

500 ovos em 100 semanas