bentonite

Conhecimentos ANCO: 3 coisas a saber sobre bentonitas

As Bentonitas podem ser utilizadas em nutrição animal para adsorver micotoxinas e reduzir sua biodisponibilidade intestinal em rações contaminadas. Elas são argilas finas mineradas do solo. A maioria das bentonitas são formadas por alterações de cinzas vulcânicas em ambiente marinho e aparecem como camadas intercaladas a outros tipos de rochas (como podemos ver na imagem acima).

As bentonitas são definidas como material de ocorrência natural que são compostas predominantemente pela argila mineral Smectita. A capacidade de troca catiônica (CTC) e a área de superfície especifica das smectitas são consideravelmente maior que em outras famílias de argilas. Sua capacidade de absorção chega a ser 8 vezes maior que outras argilas.
Porém, existem algumas coisas a conhecer antes de utilizar as bentonitas em nutrição animal:
1.Nem todas as bentonitas são iguais
2.A melhor prova de eficácia ainda é in vivo
3.Somente um tipo de bentonita é aprovada na União Européia para uso como adsorvente de micotoxinas.

1.Nem todas as bentonitas são iguais

As bentonitas são materiais argilosos e coloidais e plásticos compostos largamente de montmorilonita (uma espécie de smectita dioctaedrica. As propriedades das bentonitas podem variar consideravelmente dependendo da origem geológica e algumas modificações pós extração. Suas características individuais têm marcada influência sobre seu uso comercial.

Apesar da nomenclatura genérica das bentonitas comercialmente disponíveis, várias propriedades físico-químicas foram identificadas como tendo uma possível correlação com a adsorção de micotoxinas e, portanto, poderem ser usadas para categorizar os diferentes tipos disponíveis.

Estas características incluem:
• Capacidade de troca catiônica, K+, Na+ e Ca++ trocável
• pH
• Inchamento linear
• Fração mineral
• Umidade Relativa
• Espaçamento-d (espaço intercamadas)

Pape do Espaçamento-d para adsorção de Zearalenona.

A adsorção em argilas não se limita à superfície das partículas, mas estende-se também ao espaço intercamadas. Este espaço, caracterizado pelo espaçamento d, pode ser determinado com difração de raios X (XRD) e é limitante para a formação de uma ou mais camadas adsorventes. Este espaço pode aumentar se a argila inchar, aumentando assim o número de sítios de ligação.

Testes de adsorção in vitro mostraram que há uma correlação positiva entre a adsorção da Zearalenona e o espaçamento-d em produtos comerciais a base de Bentonitas disponíveis, isto é, um maior espaçamento-d foi associado a altos % de adsorção de Zearalenona (De Mil et al 2015). O espaçamento d variou de 9,2 a 21,5 (10-10 m) em 16 produtos diferentes contendo bentonita, mostrando a grande variação existente.

Diferenças entre Cis e Trans bentonitas para a adsorção de Aflatoxina

Dados científicos recentes (Vekiru et al., 2015) que avaliaram diferentes tipos de bentonites para a eficácia de adsorção in vitro relacionada com a aflaxtoxina B1 mostraram que a maioria das bentonitas de Ca ou Na testadas foram eficazes. Todavia, as Cis-bentonitas foram mais eficazes que as trans-bentonitas.

As esmectitas dioctaédricas que se encontram na bentonite têm uma posição vaga nos octaedros porque uma das três posições octaédricas independentes simetricamente não é ocupada por cátions, o que resulta em um sítio vazio. A disposição dos grupos hidroxila na folha octaédrica relativamente a esta vacância define a configuração cis- ou trans- vazia.

2. A melhor prova de eficácia continua sendo in vivo

Experimentos in vitro têm sido desenvolvidos como uma forma eficaz de pré-seleção de agentes de adsorção antes dos testes em animais. No entanto, os resultados entre a eficácia in vitro e in vivo podem variar significativamente. Mesmo entre bentonitas com alta eficácia de adsorção in vitro, existem diferenças na eficácia in vivo indicando que os testes in vitro sozinhos não são adequados para a avaliação de adsorventes.

3. Somente um tipo de bentonita tem seu uso aprovado na União Europeia como adsorvente de micotoxinas

Atualmente, a bentonita 1m 558 foi aprovada como substância para redução dos problemas relacionados a contaminação por micotoxinas (aflatoxina B1) em rações animais para suínos, aves e ruminantes de acordo com a regulamentação da UE relativa aos aditivos para a alimentação animal. A aprovação baseia-se na segurança de utilização do produto e na comprovada eficácia de adsorção in vitro e in vivo para Aflatoxina.

Esta bentonita apresenta as seguintes características:
• Bentonita: ≥ 70% de esmectita (montmorilonite dioctaédrica)
• <10% de opala e feldspato
• <4% de quartzo e calcita
• Capacidade de ligação a Aflatoxina B1 acima de 90%

Ao atual nível de inclusão máxima recomendado desta bentonita na alimentação animal, a ligação de vitaminas e minerais é insignificante.