Intervalo desmama – cio em porcas com um ativador de agilidade intestinal

O intervalo desmama – cio é chave para melhorar os índices de nascimentos e aumentar o tamanho das leitegadas subsequentes. O estresse calórico é um dos fatores conhecido por ter um impacto significativo nos intervalos desmama – cio. Um ativador de agilidade intestinal foi avaliado em dietas comerciais de porcas para observação da resposta no desempenho reprodutivo pós desmame em clima quente.

Fatores que afetam o intervalo desmama – cio

O intervalo desmama – cio é economicamente relevante pois afeta o número de dias não produtivos e, consequentemente, o custo de manutenção e a eficiência da porca. Os métodos de detecção e a capacidade dos técnicos em reprodução desempenham um papel importante para este parâmetro, porém existem outros fatores que precisam de um gerenciamento cuidadoso e otimização para garantir curtos intervalos desmama – cio.

A duração da lactação por exemplo, precisa ser otimizada uma vez que quanto menor o período de lactação, maior a probabilidade de o intervalo desmama – cio ser aumentado. A ingestão adequada de ração, especialmente durante os primeiros 7 a 10 dias de lactação é fundamental para repor as reservas corporais que controlam o desempenho reprodutivo subsequente. É também por isso que muitos estudos demonstram que altas temperaturas ambientais prolongam os intervalos desmama – cio reduzindo as taxas de prenhez por impactarem na ingestão de ração da porca na lactação. Um bom projeto de ventilação e sistemas de resfriamento suplementar na maternidade e a ingestão adequada de água também desempenham papel importante.

Impacto do estresse térmico no intervalo desmama – cio.

Pesquisadores relataram aumento do intervalos desmama – cio de 2 a 4 dias em porcas sob temperaturas >35°C versus <30°C. Outros mostraram que valores altos no índice de umidade e temperatura (IUT > 82) resultou em uma maior porcentagem de primíparas e multíparas com um intervalo de desmasme – cio  > 8 dias. Isso foi explicado em parte devido à redução da ingestão de ração em resposta às altas temperaturas particularmente durante a lactação.

Estudos mais recentes mediram o impacto do estresse térmico em porcas sobre o status oxidativo em diferentes estágios do ciclo reprodutivo e relataram aumento do estresse oxidativo em porcas ao redor do final da gestação em porcas mantidas sob temperaturas acima de 25°C em comparação com porcas mantidas a temperaturas mais moderadas. Isso foi associado à redução do desempenho reprodutivo na forma de diminuição do tamanho das leitegadas ao nascimento e ao desmame.

O aumento do estresse oxidativo pode, no entanto, também levar a um aumento das respostas inflamatórias na porca e um aumento na demanda de energia de manutenção, o que novamente poderia ter um impacto no intervalo desmama – cio.

Efeito de Anco FIT no desempenho reprodutivo pós-desmame

O ativador de agilidade intestinal Anco FIT foi avaliado em um teste desenhado para observar o impacto no desempenho reprodutivo anual de porcas na fase depós-desmame em uma granja comercial em Córdoba, Argentina.

Desenho do teste

Anco FIT foi incluído às dietas de lactação durante um ano a partir de setembro de 2019 em uma granja comercial com 380 fêmeas. Foram monitorados mensalmente os principais indicadores de desempenho pós desmame, como o intervalo desmame – cio e percentual de repetições de cio, até agosto de 2020. Nem uma outra alteração na dieta foi feita durante este período. O desempenho foi comparado ao do ano anterior onde não havia Anco FIT nas dietas.

Resultados

A inclusão de Anco FIT às dietas reduziu a média anual de intervalo desmama – cio em 31% (11,6  vs  8,0 dias) e repetição de cio em  24%. A melhora observada em repetições de cio foi particularmente acentuada nos meses de verão  (novembro a março) (10,4% vs 6,3%).

Conclusão

A suplementação com  Anco FIT para porcas durante a gestação e lactação melhorou os principais parâmetros anuais de desempenho reprodutivo pós-desmame e o impacto foi particularmente mais evidente durante os meses de verão, que são os mais quentes na Argentina..

Os resultados podem, em certa medida, ser explicados pela melhoria na ingestão de ração de lactação das porcas sob condições de estresse calórico, como demonstrado em um ensaio anterior na fase de lactação com Anco FIT.  Além disso, Anco FIT inclui componentes com propriedades antioxidantes que podem ter auxiliado a redução do impacto negativo do estresse oxidativo nas porcas em estágios cruciais do ciclo reprodutivo e disponibilizado mais energia para o desempenho reprodutivo.

Artigos relacionados

 Nutrição de porcas e leitões para resiliência de leitões ao estresse pos desmame.

Estresse térmico em porcas – melhor desempenho de lactação com Anco FIT

Estresse calórico  em suínos – soluções nutricionais que funcionam