Fase inicial de produção de ovos – um bom começo para galinhas poedeiras

A fase inicial de postura desempenha um papel importante na perfomance de um lote e por quanto tempo as aves podem ser mantidas em produção. Portanto, começar bem a fase de postura é fundamental para estratégias nutricionais destinadas a prolongar os ciclos de postura. A nutrição voltada à capacidade adaptativa pode ser um grande facilitador ao fazer suas aves saírem na frente na fase de pré-pico de produção.

500 ovos em um ciclo de postura estão ao alcance

Prolongar o ciclo de postura ajuda a equacionar os custos de produção de ovos (por exemplo, pela diluição dos custos das frangas e ração) pelos ganhos de um período produtivo mais longo. Além disso, reduz a frequência necessária para reposição das aves e limpeza de aviários entre lotes.

Como resultado, agora os avicultores estão buscando prolongar o período de postura para além das 72 semanas de idade. Mas não é apenas para melhorar os resultados econômicos da produção, mas também faz sentido em termos de redução do impacto ambiental da produção de ovos visando uma produção mais sustentável.

Algumas casas genéticas já estão relatando lotes com ciclos de produção de ovos de 100 semanas e com produção maior que 500 ovos. A Schothorst Feed Research informou que um lote de galinhas Dekalb White produziu 510 ovos por ave em 100 semanas em Outubro do ano passado (2019). Embora a genética aprimorada facilite objetivos tão ambiciosos, não é preciso dizer que o manejo e a nutrição adequadas também desempenham um papel importante.

Importância dos desafios anteriores ao pico de produção de ovos para a extensão do período de postura.

O período de pré-pico do ciclo de postura dura desde o momento em que as galinhas chegam ao galpão de produção (15-18 semanas de idade) até a idade em que as aves atingem o pico de produção de ovos (24-26 semanas de idade). Este é um período muito desafiador, porque as aves ainda estão crescendo enquanto começam a produzir ovos. Além disso, passam por muitas outras mudanças à medida que passam da fase de frangas para a fase de produção.

Isso significa que elas precisam se adaptar a novos ambientes, dietas, iluminação diferente, além de passar pelo estresse do transporte. Isso pode resultar em balanços negativos de nutrientes, que podem afetar o desempenho, mas também pode ter efeitos a longo prazo para a saúde e a persistência da postura se afetar negativamente o metabolismo ósseo e hepático.

Por exemplo, a mobilização de cálcio para a formação de casca de ovo a partir do osso pode levar a uma redução na massa esquelética das aves e reduzir a qualidade da casca no final da postura.

O aumento da produção de radicais livres no fígado pode eventualmente levar ao fígado graxo como resultado do estresse oxidativo prolongado, que novamente pode prejudicar a produção de ovos e a persistência da postura.

Objetivos não alcançados na fase de recria, como peso corporal e uniformidade ou estressores, como altas temperaturas e micotoxinas, podem amplificar possíveis problemas.

Nutrição voltada à capacidade adaptativa de galinhas no período inicial de postura

Para que as aves cheguem em condições adequadas no início do período de postura e corrigir os efeitos de uma recria em condições sub ótimas, a ingestão de nutrientes deve ser maximizada para evitar a mobilização das reservas de nutrientes corporais no início do período de postura.

Isso também significa que quaisquer impactos ambientais ou nutricionais sobre o consumo de ração precisam ser minimizados. Reações de estresse, como estresse oxidativo, integridade intestinal reduzida e respostas inflamatórias, podem contribuir para impactar negativamente a resiliência das aves e, assim, diminuir ainda mais as chances de os produtores prolongarem com sucesso o período de postura.

Por exemplo, a integridade intestinal do duodeno é crucial para manter a qualidade da casca do ovo em ciclos de postura mais longos, pois é o principal local de absorção de Ca e P.

O estresse oxidativo afetará o funcionamento do fígado e, portanto, a capacidade de manter altas taxas de postura e qualidade dos ovos ao longo do tempo. Também pode levar a respostas inflamatórias que podem afetar a eficiência energética.

O conceito de agilidade intestinal de Anco FIT Poultry foi desenvolvido especificamente para aumentar a capacidade da ave para se adaptar aos desafios com mais eficiência e reduzir as reações de estresse que, de outra forma, reduziriam o desempenho e o potencial das galinhas para sustentar ciclos de postura mais longos.

Assine a nossa newsletter e descubra mais sobre as experiências com a Anco FIT Poultry em dietas para poedeiras em artigos futuros.

Referências

500 ovos em 100 semanas

Impacto da micotoxina DON em galinhas poedeiras

Estudos demonstraram impacto negativo do deoxinivalenol, DON em galinhas poedeiras, no entanto, os resultados variam consideravelmente entre os estudos. Muitos trabalhos científicos afirmam que as galinhas são menos sensíveis às micotoxinas em comparação com outras espécies.

Então, os produtores de ovos devem se preocupar com o DON? A resposta é: depende. Aqui estão alguns dos fatores que precisam ser considerados para avaliar o risco de DON nas dietas para o desempenho de galinhas poedeiras e segurança dos ovos.

Fatores que determinam o impacto do DON em galinhas poedeiras

Os efeitos do DON no desempenho de galinhas poedeiras variam consideravelmente entre os estudos. Enquanto alguns estudos relatam pouco impacto, outros estudos mostraram um impacto significativo do DON na taxa de postura / produção de ovos, qualidade da casca do ovo e ganho de peso em galinhas poedeiras.

Existem alguns fatores que podem explicar a variação observada nos resultados entre os estudos que examinam o efeito do DON nas galinhas poedeiras. Dependendo do nível de presença desses fatores nos estudos, o efeito do DON no desempenho das galinhas poedeiras pode ser significativo.

• Nível de DON na dieta e co-contaminação com outras micotoxinas

• Forma natural versus purificada de DON

• Duração da exposição ao DON na alimentação

• Fase da produção de ovos

• Linhagem

As diferenças nos efeitos tóxicos podem ocorrer porque alguns estudos usaram grãos contaminados artificialmente ou uma única fonte de grãos contaminados.

Dietas artificialmente contaminadas com DON purificado são menos tóxicas do que as dietas naturalmente contaminadas.

Isso ocorre principalmente porque o uso de uma mistura de grãos naturalmente contaminados aumenta o potencial de outras micotoxinas presentes.

A presença de múltiplas micotoxinas pode aumentar o efeito de DON presente como resultado de sinergia toxicológica decorrente de interações com outras micotoxinas.

A produção de ovos foi afetada negativamente em galinhas alimentadas com dieta contendo sorgo contaminado com zearalenona (ZON) no nível de 1,1 mg / kg e DON no nível de 0,3 mg / kg. O efeito neste estudo foi atribuído ao efeito sinérgico de DON e ZON.

Períodos mais longos de exposição ao DON na dieta geralmente mostraram impacto maior no desempenho de galinhas poedeiras em comparação com estudos em que as galinhas foram expostas apenas ao DON por algumas semanas.

Outro estudo comparando o efeito do DON nas galinhas poedeiras entre os estágios de produção mostrou que o DON teve mais efeito nos meses 7 a 12 do que nos primeiros 6 meses de produção.

Também é interessante notar que nem todas as linhagens respondem da mesma forma ao DON. Por exemplo, um estudo comparando poedeiras Lohmann Brown com LSL Lohmann demonstrou que poedeiras Lohmann Brown são mais sensíveis ao DON.

Mecanismos subjacentes para respostas negativas

As aves são menos sensíveis em comparação com outras espécies. Isso pode ser atribuído a diferenças na absorção, distribuição, metabolismo e eliminação de DON.

No entanto, ainda existem estudos que mostraram efeitos negativos no desempenho de poedeiras. Isso foi atribuído, em certa medida, a uma redução no consumo de ração associado ao DON nas dietas.

Outros estudos indicaram que o DON influencia a morfologia intestinal e a absorção de nutrientes (glicose e aminoácidos), o que pode reduzir a eficiência dos nutrientes de poedeiras. Por exemplo, foi demonstrado que o DON pode alterar a estrutura da mucosa duodenal e jejunal na forma de vilosidades mais curtas e finas.

Suscetibilidade a doenças em resposta a DON na alimentação

Demonstrou-se que o DON prejudica as funções imunológicas em galinhas. O impacto do DON no sistema imunológico varia da imunossupressão à imunoestimulação, de acordo com sua concentração, duração e tempo de exposição.

Um importante efeito imunotóxico de DON em dietas para galinhas poedeiras é a redução de
número de células sanguíneas e linfócitos totais. Além disso, baixas doses de DON aumentam a expressão de genes relacionados à inflamação e citocinas pró-inflamatórias.

Demonstrou-se que o DON suprime a resposta de anticorpos à vacina contra bronquite infecciosa (IBV) e ao vírus da doença de Newcastle (NDV) em galinhas poedeiras (3,5 a 14 mg de DON / kg de alimento), respectivamente.

A desregulação do sistema imunológico, juntamente com o impacto negativo do DON na função intestinal, pode levar ao aumento da suscetibilidade de lotes de aves a doenças infecciosas.

A micotoxina DON na alimentação apresenta riscos para a segurança dos ovos e a saúde humana?

A DON pode causar problemas de saúde, como náusea, distúrbio gastrointestinal e diarreia em humanos.

Portanto, é importante garantir que não seja passado da ração para os ovos a uma taxa que possa causar riscos à saúde dos seres humanos.

Um estudo de 2018 realizado na China, analisando os níveis de micotoxinas nos ovos em três áreas diferentes na China (Jiangsu, Zhejiang e Xangai), relatou DON, 15-AcDON e Zearelone como as micotoxinas mais frequentemente observadas nos ovos.

Os níveis mais altos de contaminação foram observados em Xangai com até 50% de testes positivos. A subsequente avaliação de risco para humanos concluiu que o risco de causar problemas aos humanos nas três áreas era baixo, com base nos níveis de micotoxinas encontrados nos ovos e no consumo normal de ovos.

A ingestão de DON através dos ovos ainda estava abaixo da ingestão diária máxima tolerável. No entanto, o estudo destacou a necessidade de monitorar a micotoxina DON na alimentação e restringir os níveis permitidos de DON na alimentação.

Estudos científicos que analisaram o efeito de passagem de DON da ração para ovos em galinhas poedeiras concluíram que o efeito de passagem de DON para ovos é muito baixo. De tal forma que, desde que o nível DON de ração para galinhas não exceda as diretrizes atuais (5ppm), certamente não há riscos à saúde dos seres humanos.

Um estudo muito recente realizado em 2019 demonstrou que a DON ocorre principalmente como seu metabólito não tóxico DON-3Ss em ovos de galinhas poedeiras alimentadas com alimentos contaminados por DON.